quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Perdão, leitores, por estarmos fugindo do tema central do nosso blog. Mas é impossível nos calarmos frente a tanta crueldade humana. Que tipo de animais somos nós? É isso o que temos para dar? Se nos calamos é com isso que concordamos, ou somos minoria? Não somos e não podemos admitir que os adjetivos que vêm à mente quando vemos tanta barbaridade ser cometida se aplique também a nós por extensão, como seres humanos. Humanidade vil, covarde, impiedosa, imunda, nociva, doente!

Na foto, soldados iraquianos assassinados numa trincheira por soldados americanos enquanto empunhavam a bandeira branca, que sinaliza rendição.

Na matéria transcrita abaixo, cenas dos conflitos entre Israel e o grupo Hamas, dentro do território de Gaza.

O que é feito da paz?
Que Oxaguian, o deus que guerreia pela paz, seja impiedoso!
Desejo, do fundo do coração, que esses germes que se dizem humanos sejam extirpados do mundo. Não os soldados, porque são apenas armas, mas pelas mentes que nos jogam em um abismo cada vez mais fundo.


14/01/2009 - 08h24
Soldados de Israel atiram em palestinos com bandeira branca, segundo ONG


Jerusalém, 14 jan (EFE).- O Exército de Israel disparou contra uma mulher e três homens que estavam com uma bandeira branca quando estes saíam de casa após um ataque israelense na Faixa de Gaza, segundo a denúncia de um grupo pró-direitos humanos divulgada hoje pela imprensa. A ONG israelense B'Tselem afirmou, em comunicado, que uma testemunha, residente da aldeia de Khuza, disse por telefone que pelo menos uma mulher foi atingida, mas que não sabe o que aconteceu com ela, porque ele teve que fugir da área. O incidente aconteceu depois de, na noite de terça-feira, forças israelenses prepararem o terreno e demolirem casas nessa aldeia, próxima à fronteira com Israel. De acordo com o relato da testemunha, já de manhã, Rawhiya al-Najar, uma mulher palestina de 50 anos, saiu de casa com uma bandeira branca na mão para que o resto da família pudesse segui-la e deixar a casa. A testemunha acrescentou que após ser atingida, a mulher permanecia imóvel no chão sem que o resto da família ou os serviços de emergência pudessem se aproximar para prestar socorro. Segundo a fonte, os militares israelenses abriram fogo quando o grupo tinha caminhado 20 metros, e identificou os três homens como Muhammad Salman a-Najar, de 54 anos, Ahmad Juma a-Nahjar, de 25, e Khalil Hamedan a-Najar, de 80, aparentemente da mesma família. Após o ataque, muitos outros moradores se refugiaram em um edifício próximo, no qual pelo menos 46 pessoas esperavam ontem ser evacuadas. Um porta-voz militar israelense disse à Agência Efe que, depois que o Exército de Israel realizou uma investigação preliminar, tinha opinado que as informações "eram infundadas". "O Exército israelense tenta, em grande medida, evitar machucar civis e reitera que o Hamas escolhe lançar seus ataques contra cidades israelenses a partir de áreas civis", disse o porta-voz militar.

Nenhum comentário: