quarta-feira, 28 de outubro de 2009

III Caminhada dos Terreiros de Matrizes Africanas e Afrobrasileiros


Em mais uma edição, a Caminhada dos Terreiros de Matrizes Africanas e Afrobrasileiros no dia 3 de novembro de 2009 continua sua luta por em reivindicações fundamentais para todo o povo de Candomblé e Umbanda.
A 2a Caminhada, no ano passado, foi um grande sucesso, num cortejo que esbanjou alegria tendo os manifestantes sido recebidos no Palácio do Campo das Princesas, sede do Governo do Estado, pelo governador Eduardo Campos.

Para 2009, as necessidades ainda continuam, apesar dos esforços que duram todo o ano. A caminhada é muito longa até a conquista do respeito ideal que os adeptos das religiões afrodescendentes mecerem.

Transcrevo abaixo, ipsi literis, o texto do projeto da Caminhada, para que todos compreendam a importância, as reivindicações, e a necessidade que esta iniciativa tem de apoio. Os objetivos do evento extrapolam seu caráter político e reivindicatório e ele se torna uma grande confraternização que veste de branco as ruas do centro do Recife. A concentração será na Praça do Marco Zero, às 15h.
Nos encontramos novamente lá.


"3A CAMINHADA DOS TERREIROS DE MATRIZ AFRICANA E AFRO-BRASILEIRO
03 DE NOVEMBRO 2009 RECIFE - PE
Concentração: Praça do Marco Zero / 15:00hs.

Apresentação:
A intolerância e o desrespeito às religiões de matriz africana é um fato, porém, temos a compreensão de que é preciso combatê-la como uma das expressões do racismo brasileiro, que coloca em lugar de inferioridade todas as expressões ligadas à história e a cultura negra. Neste sentido, é preciso fortalecer às várias formas de reação ao preconceito, assim, a comunidade tem construído diversas formas e estratégias. Nos últimos tempos as caminhadas de terreiros tem sido uma prática constante em vários estados do Brasil.
Em Pernambuco, desde 2007, as comunidades dos terreiros tem marcado seu ato político para abrir o Mês da Consciência Negra (Novembro). E o vem fazendo, articulado, 1a Terça feira do mês de Novembro, saindo pelas ruas do Recife, para exigir que todas as formas de discriminação e Intolerância Religiosa acabem e que haja punição aos que cometem crimes contra as religiões de Matriz Africana.

Justificativa:
Juntamente, a perspectiva da caminhada, nos últimos anos, tem sido fazer cumprir as determinações da resolução 36/55 da Assembléia Geral da ONU, em 25 de novembro de 1981, que trata do tema. De considerar a Declaração Universal dos Direitos humanos, os Acordos e Convêncios Internacionais de respeito e direito a diversidade, os resultados da conferência internacional contra o racismo e a intolerância - Durban. Assim, pautando a luta contra a intolerância no âmbito da responsabilidade do estado Brasileiro. As comunidades de terrero do estado de Pernambuco tem se organizado para assegurar, exigir o respeito da sociedade como um todo. Essa ação articulada, tem como base garantir seus direitos a liberdade de Pensamento, consciência, Religião e Crença, garantidos na constituição federal.

Dos objetivos:
• Neste ano, a Caminhada dos Terreiros em 03 de Novembro ratificará sua indignação contra atos discriminatórios, exigindo do Brasil PAÍS LAICO, o direito de professarmos nossa fé; cobraremos também do Governo, a implementação da Lei 10.630/03 que trata do ensino da história e cultura afro-brasileira nas escolas.
• Ratificar a importância da mobilização das Casas Religiosas de Matriz Africana, Afro-Brasileira, Jurema e Umbanda de todo o estado.
• Repudiar a prática Anti-Ética nos meios de comunicação por integrantes das religiões de matris africana, por significar flagrante violação dos princípios ancestrais, desrespeitos a comunidade de terreiro e contribuição para ridicularização e discriminação dos cultos de matriz africana e afro-brasileiros.
• mostrar nosso desacordo pela Concordata Firmada pelo Governo do Brasil com o Estado do Vaticano, por significar flagrante violação do art. 19 da Constituição Federal, além de abrir procedente formal de privilégio a uma confissão religiosa em detrimento a obrigatorieddade de tratamento isonômico entre a pluralidade de crença existente no Estado Democrático e Laico brasileiro. Exigimos a imediata abertura de diálogo com a sociedade brasileira através da realização de audiências públicas e retirada do Estatudo Jurídico da Igreja Católica (MSC 134/09) da pauta das discussões do Congresso Nacional.

Das metas:
• Estar nas ruas, combater todas as formas de Preconceito e Discriminação Religiosa, buscando o Respeito, Empoderamento e Visibilidade dos Terreiros.
• Fazer saber, que somos de uma rleigião milenar, onde nossos cultos são devotos à natureza; Acreditamos que esta NATUREZA é a maior manifestação de OLORÚN (DEUS) na terra.
• Buscar o reparo para o nosso povo, socializar os espaços de direito, louvar os Orixás que atua como elemento unificador entre os vários povos africanos que aqui chegaram.
• Falar à todos irmãos e irmãs de outras rleigiões que, como eles, adoramos a Olorúm (DEUS) sobre todas as coisas. Desmistificando assim, a falsa conotação que "eles" dão a nossa religião.

Realização: GRAC-PINA, CEPIR, UIALA MUKAJI, INTECAB, ABYCABE-PE, SOCIAFRO, GANGA BRAZUCA.
Apoio: Prefeitura do Recife, Prefeitura Popular de Olinda, Prefeitura de Jaboatão dos Guararapes e Governo de Pernambuco.

Concentração: Praça do Marco Zero.
Percurso: Av. marquês de Olinda/Rua Mariz de Barros/Praça da República/Campo das Princesas/Rua do Sol/Avenida Guararapes/Avenida Dantas Barreto.
Final: Praça Nsa. Sra. do Carmo (Estátua Zumbi dos Palmares) - Cerimônia religiosa Umbanda e Jurema."

Nenhum comentário: