domingo, 4 de outubro de 2009

Para que floresça NOSSO povo

A Que Florezca Mi Pueblo

Para Que Floresça Meu Povo

Quiero cantarle a mi tierraQuero cantar-lhe a minha terra
Y que florezca E que floresça
Dentro del clima mi pueblo Dentro do clima meu povo
Y su primavera E sua primavera
Inaugurar mil palomas de pan Inaugurar mil pombas de pão
Y que no mueran E que não morram


Quiero elevarme en un gritoQuero elevar-me num grito
Y tal vez pueda E talvez possa
Tomar el sol de la mano Tomar o sol da mão
Cuando se aleja Quando se afasta
Para quitarle la luz y la voz Para tirar-lhe a luz e a voz
Mi pueblo espera Meu povo espera


Cuando tu te pares a mirar la vidaQuando tu pares a olhar a vida
En el vertice justo del tiempo y la luz No vértice justo do tempo e a luz
Veras la grandeza del hombre y su dia Verás a grandeza do homem e seu dia
Su camino nuevo, su cancion azul Seu caminho novo, sua canção azul


Quiero brotar en la espigaQuero brotar na espiga
De la conciencia Da consciência
Del hombre nuevo que lucha Do homem novo que luta
Por su mañana Por sua manhã
Y proclamar su tiempo azul de pie E proclamar seu tempo azul de pé
Dando la cara Dando a cara

Mercedes Sosa foi uma das maiores vozes da música latinoamericana. Argentina, fez parte de um movimento musical conhecido como Nueva Canción, com raízes africanas, cubanas, andinas e espanholas, marcado por uma ideologia de rechaço ao imperialismo norte-americano, o consumismo e às desigualdades sociais. Foi conhecida como "a voz dos sem voz". Mercedes Sosa faleceu hoje, 4 de outubro de 2009, aos 74 anos. Sua voz levou sempre uma profunda mensagem de compromisso social através da música de raiz folclórica.

O blog Povo do Axé, apesar de voltado para a cultura afrodescendente brasileira e pernambucana, deixa registrada a sua admiração por mais esta grande personalidade da luta pelas tradições não só do seu povo, mas de todos os latinoamericanos que são irmãos nas lutas pelos mesmos grandes problemas sociais.

Nenhum comentário: