quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Ritos e rezas por trás do Baque Solto

Publicado em 08.02.2010, às 23h07

Por Carly Falcão
Do JC Online


Quem vê um maracatu rural desfilando nos Domingos de Carnaval com aquela disposição e trajes coloridos não faz ideia da concentração que envolve os integrantes do cortejo antes e durante as apresentações. Seja por conta da estreita relação com religiões afro-brasileiras ou em razão do resgate às tradições do campo, os grupos de Maracatu de Baque Solto não abrem mão de certos rituais.

Laurinete de Assis Batista, 70, é Rainha do Maracatu Cruzeiro do Forte, o maracatu rural mais antigo do Recife, fundado em 1929, no bairro do Cordeiro, Zona Oeste do Recife. A mãe de santo faz questão de 'abençoar' o local dos ensaios antes da chegada do grupo. Enquanto reza para Exú e Pomba-gira, ela despeja cachaça e cerveja, respectivamente, no chão. "Sem Exú não somos ninguém. Tudo que queremos, temos que pedir permissão a ele", explicou Dona Laurinete. Veja no vídeo abaixo mais detalhes sobre os rituais feitos antes dos dias de folia.

VÍDEO: MARACATU SOLTO

Os membros do maracatu têm extremo cuidado com as indumentárias, não somente para evitar danos materiais, mas para que elas fiquem imunes às más vibrações. As bonecas (calungas) trazidas pelas damas-do-passo não podem ser carregadas por qualquer pessoa. "Eu só entregava para quem eu via que merecia, normalmente era uma jovenzinha", revelou Célia do Nascimento, 74, que foi dama de passo por 59 anos.

Da mesma forma que essas mulheres, os caboclos de lança são proibidos de emprestar seus trajes de festa. "Já ouvi casos de pessoas que foram castigadas pelas entidades, de gente que caiu feio para trás na hora do desfile", lembrou o caboclo de lança Eraquitã Santana, 44. Outra curiosidade envolvendo estes dois personagens é que muitos evitam ter relação sexual nos três dias de momo.

BANHO DE LIMPEZA - Em uma bacia com água, se misturam ervas como arruda, manjericão e macaçá. Depois de esfregar as plantas na água e juntar a mistura a um perfume com essência de alfazema, toma-se um banho de cabeça com a poção. O rito de lavagem do corpo acontece no Sábado de Zé Pereira. A limpeza seria para evitar problemas na hora da folia, como brigas entre os membros do grupo.

O QUE SIGNIFICA A VESTE DO CABOCLO DE LANÇA?

Surrão: Estrutura de madeira coberta de lã. Vem sempre em número ímpar para não dar azar. Os chocalhos são usados para espantar os maus espíritos.

Guiada: Lança com aproximadamente dois metros de compromento (para muitos, a guiada é uma referência à cana-de-açucar ou à enxada do matuto).

Chapéu: A indumentária parece uma cabeleira. Antigamente, ela era chamada de funil e confeccionada com papel crepom.

Gola: Cada caboclo de lança escolhe a cor de seu traje. As golas apresentam símbolos, palavras ou iniciais representativos para os caboclos de lança.

Conjunto: A fantasia completa pesa cerca de 30kg.

Fonte: Maracatu Rural Cruzeiro do Forte e Cartilha do Carnaval 2010 da Prefeitura do Recife



Nenhum comentário: